Páginas

pesquisa

quinta-feira, 6 de fevereiro de 2014

Quem Ama, Cuida

Maria Cecília e Rodolfo

Não ligue se eu lhe perguntar
Nem vá se estressar se eu quiser saber
Com quem, aonde você tá
Que hora vai voltar e o que vai fazer
Não tô pegando no seu pé
É que quando a gente quer, a gente vai à luta
Mas não desligue o celular, eu vou te rastrear
Porque quem ama, cuida
Ei, não é ciúme, eu confio em você
E vou tá sempre onde você estiver
E mesmo estando ausente, eu vou estar presente
Toda hora que você quiser
Se me chamar, eu vou e se for pra fazer amor
Eu largo tudo, tudo e vou à luta
Mas não desligue o celular, eu vou te rastrear
Porque quem ama cuida
Eu vou cuidar de você
Todo dia, toda hora e a todo momento
Você jamais vai duvidar do meu sentimento
É de dar inveja um amor assim
Eu vou cuidar de você
Todo dia, toda hora e a todo momento
Eu sou capaz de ler até seu pensamento
Só pra saber se tá pensando em mim

quinta-feira, 30 de janeiro de 2014

Te esperando - Luan santana

Mesmo que você não caia na minha cantada
Mesmo que você conheça outro cara
Na fila de um banco
Um tal de Fernando
Um lance, assim
Sem graça

Mesmo que vocês fiquem sem se gostar
Mesmo que vocês casem sem se amar
E depois de seis meses
Um olhe pro outro
E aí, pois é
Sei lá

Mesmo que você suporte este casamento
Por causa dos filhos, por muito tempo
Dez, vinte, trinta anos
Até se assustar com os seus cabelos brancos

Um dia vai sentar numa cadeira de balanço
Vai lembrar do tempo em que tinha vinte anos
Vai lembrar de mim e se perguntar
Por onde esse cara deve estar?

Eu vou estar
Te esperando
Nem que já esteja velhinha gagá
Com noventa, viúva, sozinha
Não vou me importar
Vou ligar, te chamar pra sair
Namorar no sofá
Nem que seja além dessa vida
Eu vou estar
Te esperando



Apesar do cantor a letra nao cansa de iludir e fazer cantar!

quarta-feira, 27 de novembro de 2013

Diretas já.

Dizem por ai que só escrevemos quando estamos tristes... de fato confirmo por experiência própria.
seria um consolo, palavras próprias de quem está sofrendo no momento obviamente seria o melhor consolo para ela mesma.
nos esforçamos tanto que aos poucos largamos ou mesmo deixamos de ser nós mesmos. será o fim de uma fase, ou o fim do que somos de fato para nos reconstruirmos novamente?
eu me pergunto tal como vc ao insinuar que amava as antigas características que cabiam a mim, onde foi parar toda minha determinação, minha decisão e meu amor pela vida? vc conseguiu acabar com isso, me adaptando ou me fazendo cobrar demais de mim mesma a esse ponto e se ve hoje no direito de querer tudo de volta!
de fato valorizamos o que amamos após a perda, mas e entao o que resta após o valor se perder junto com o artefato amado?
Dói imaginar que alguem nos ve sem valores familiares ainda mais quando se trata de uma mulher, dirá ouvir isso do próprio companheiro. seria inadmicível caso ainda existisse força aqui. é algo que eu jamais aceitaria, porém.. as circunstancias e o medo impõe a situação como uma coroa de espinhos na qual nos se vemos como a mais bela das mulheres, porem a mais amarga e infeliz delas.
Dói tanto quanto nao ter valor intelectual suficiente. ouvir: após toda a minha formação vc quer mesmo discutir?
apesar de ser tranquila quanto minha intelectualidade, chega a enojar alguns argumentos e algumas falas.. de que sabe grau de escolaridade sobre problemas diários e problemas enfrentados por casais? acaso haveria alguma fórmula ou tese de como deve-se resolver tais problemas, ou o que causa o que? pense que, se assim fosse, todos os problemas de relações ja solucionados seriam, nao haveria prisão; torturas; mortes ou nada do tipo.
a vontade de manter-se apaixonado nunca morre, porém a paixão se esvai, escorre por qualquer canto em que nos desligamos. o carinho e o amor restam. mas o que seria esse resto se nao resto?
se nao há vontade de apaixonar-se ou agradar àquele que conviverá com vc segundo juramentos o resto da vida, o que sobraria pra esse casal futuramente? consegue imaginar? se não, aqui vamos nós...
ao café da manhã, o que provavelmente nao será como o planejado,almejamos sentar à mesa todos os dias, após fazer amor ainda antes de se levantar e tomar banho; durante o café, uma prévia de como seria dia para cada um seria discutida e compartilhada pelo casal, mas os horarios infelizmente nao vao coincidir todos os dias.. ou seja, mais um desencontro.
passado o período da manhã, ao ingressarmos pela tarde à fora, nem todos os almoços seriam feitos pela mulher dentro de casa como manda o antigo figurino. ela vai estar no trabalho, e ele também. a companhia de ambos para ambos fora perdida tanto pela manhã quando no horario de almoço. o telefone vai tocar, vezes dele, vezes dela, e alguns dias nenhum. perguntas do dia-a-dia vao ocupar todo o tempo ao telefone:- estendeu a roupa que deixei na máquina colocou a roupa na máquina? deu comida pro cachorro da ultima vez a qual hora? finalmente a ligação se encerra e vem mais um turno incansável de trabalho com colegas super cordiais para ela, e colegas interessantes para ele. chega a noite... hora de chegar em casa , tomar um banho voando e voltar pro trabalho ou estudar... quando nao se encontram nesse horario, mais uma vez o telefone toca... dessa vez nao é com tanto entusiasmo, ambos estao cansados e desejam menos tarefas em casa pois ja basta as do trabalho. o assunto dessa vez foi: nao é porque sou mulher que devo ser empregada, custava estender as roupas? e ai surge toda um discussão que mais tarde seria resolvida ao chegarem mortos em casa... como ao chegar as coisas continuam da mesma forma, a mulher como responsavel pela casa se desdobrará para arrumar o necessário, para enfim tomar um longo e demorado banho e deitar.. ao deitar o homem que ainda está o começo do casamento, tenta ser mais compreensível do que no seu estado normal de acomodamento no relacionamento. assim, ele acaricia, beija, lhe traz um cigarro e uma taça de vinho esperando boa reação da outra parte, e ele consegue, consegue beijos, carinhos, faz amor, fecha os olhos e dorme pra no dia seguinte recomeçar. quanto a ela, após se sentir usada, vira-se e tentar dormir.. enquanto isso todo o filme das expectativas provocadas nela por ele roda milhoes e milhoes de vezes por sua cabeça e se materializam por forma de uma lagrima, essa rolará pelo seu rosto que um dia foi visto por ele tantas vezes e acariciado. aos finais de semana oq ue seria um tempo ótimo para enfim namorar serão ocupados de outra forma...
no sabado de manhã, casa ambos nao trabalhem, é dia de lavar o carro, dar banho no cachorro e arrumar a casa. o almoço fica pronto por la mesmo, caso ele queira ver a mãe, ela cansada da semana inteira prefere ficar, almoçar e dormir um pouco. sabado anoite é dia de fazer sala.. alguma festa, aniversários ou receber visita será mais um impecílio para o carinho do casal acabar ainda mais... domingo é dia de acordar ttarde.. ela vai querer rever a família, ele nao aceitando tao bem, prefere ficar em casa.. faz algum esporte com os amigos, e vai direto pra casa da mae almoçar, fica por la, e quando ela chega ele ainda no chegou. entao é hora de estudar e caso leve trabalho para casa trabalhar. chega anoite e a segunda está braba... entao: quando ele chega traz mais uma taça de vinho, um cigarro, a sobremesa que a mae dele preparara em um embrulho e diz que se lembrou de voce, mais uma vez a rotina se repete...
penso que nos intervamos desse casal, nao vai haver nenhum sms, nem um recado deixado no meio das roupas, dirá planos mirabolantes de jantares romanticos.
claro, dirão: mas é preciso que seja assim, ninguem deixa de trabalhar e estudar pra fazer surpresa alguma. mas cá pra nós, existem milhoes de outras formas de conquistar sua mulher a cada dia. nem que seja ao acordar pela manhã e elogiá-la.. mas tem ume norme detalhe meu caro... se um dia ela chegar a cobrá-lo... dê-se por fracassado mesmo antes de tentar.. pelo menos comigo, as tudo se tornaria mais dificil principalmente por odiar cobranças, odeio cobrar. depois de alguns anos o casamento chega o fim... e mais uma vez seria provada a terioria dele: ''eu sei que nao ai dar certo, mas ja que cheguei aqui, vou prosseguir.''

segunda-feira, 4 de novembro de 2013

Ternura Antiga

Alcione

Ai, a rua escura, o vento frio
Essa saudade, esse vazio
Essa vontade de chorar.
Ai, tua distância tão amiga
Essa ternura tão antiga
E o desencanto de esperar.
Sim, eu não te amo porque quero.
Ah, se eu pudesse esqueceria.
Vivo, e vivo só porque te espero.
Ai, esta amargura, esta agonia.
O meu amor tem um jeito manso que é só seu...

segunda-feira, 21 de outubro de 2013

Ilegais - Vanessa da Mata


Desse jeito vão saber de nós dois
Dessa nossa vida
E será uma maldade veloz
Malignas línguas
Nossos corpos não conseguem ter paz
Em uma distância
Nossos olhos são dengosos demais
Que não se consolam, clamam fugazes
Olhos que se entregam
Ilegais
Eu só sei que eu quero você
Pertinho de mim
Eu quero você
Dentro de mim
Eu quero você
Em cima de mim
Eu quero você
Desse jeito vão saber de nós dois
Dessa nossa farra
E será uma maldade voraz
Pura hipocrisia
Nossos corpos não conseguem ter paz
Em uma distância
Nossos olhos são dengosos demais
Que não se consolam, clamam fugazes
Olhos que se entregam
Olhos ilegais
Eu só sei que eu quero você
Pertinho de mim
Eu quero você
Dentro de mim
Eu quero você
Em cima de mim
Eu quero você

segunda-feira, 9 de setembro de 2013

Ah, se já perdemos a noção da hora
Se juntos já jogamos tudo fora
Me conta agora como hei de partir
Se, ao te conhecer, dei pra sonhar, fiz tantos desvarios
Rompi com o mundo, queimei meus navios
Me diz pra onde é que inda posso ir
Se nós, nas travessuras das noites eternas
Já confundimos tanto as nossas pernas
Diz com que pernas eu devo seguir
Se entornaste a nossa sorte pelo chão
Se na bagunça do teu coração
Meu sangue errou de veia e se perdeu
Como, se na desordem do armário embutido
Meu paletó enlaça o teu vestido
E o meu sapato inda pisa no teu
Como, se nos amamos feito dois pagãos
Teus seios inda estão nas minhas mãos
Me explica com que cara eu vou sair
Não, acho que estás te fazendo de tonta
Te dei meus olhos pra tomares conta
Agora conta como hei de partir.